quarta-feira, agosto 10, 2011

Atendimento -Sala de Apoio Pedagógico

Sequência Didática -  Festa Junina/Julina

Tempo de duração: Quinzenal – de ____/_____ a _____/______de 2011

Alunos atendidos: Segundo ao Quinto Ano

Objetivos

§ Conhecer as características das festas Juninas/ Julinas.
§  Valorizar e demonstrar atitudes de respeito ao trabalho e ao homem do campo.
§ Compreender a história da festa junina, bem como seu valor dentro do folclore brasileiro, destacando seus aspectos sociais e religiosos.
§ Perceber a importância do trabalho em equipe e a união do mesmo.

Recursos e Etapas para Desenvolvimento do Tema:

§ Músicas
§ Colagem
§ Recortes
§ Produção de enfeites para a sala
§ Brincadeiras(dança da cadeira, dança da laranja, estoura balão, argola, pescaria etc.)
§ Comidas típicas
§ Mesa Educacional Alfabeto – Karaokê – Cai Cai Balão
§ Música Cai Cai Balão para reescrita sem aglutinação
§ Alfabeto Móvel
§ Cruzadinhas
§ Sondagens de Escrita – 2ºs e 3ºs Anos
§ Sondagens de Matemática – 3ºs  e 4ºs Anos
§ Associação de imagens e sons que lembrem o tema
§ Elaboração de listas e cartazes
§ Tabela de Preços – Produtos Juninos/Julinos – Sistema Monetário - Oficina de Matemática e Cálculos envolvendo as  4 operações (Simples)

Avaliação:

·         Será avaliado no a participação individual, a produção de escrita e de leitura, o raciocínio lógico matemático,a organização e dinâmica de cada aluno  durante as atividades. 
      Obs.:A avaliação será individual e descritiva, em ficha específica de acompanhamento.


Sequências Didáticas - Apoio Pedagógico (Reforço Escolar)



Sala de Apoio Pedagógico – (Reforço Escolar)
Sequências Didáticas de Matemática  do 3º ao 5º. Ano
Objetivos: 
Composição do número com cálculos mentais
- Compartilhar formas de resolução.
- Colocar em jogo estratégias de cálculo.
- Observar as estratégias usadas por colegas.
- Construir um repertório de estratégias de cálculo.
Divisões equitativas
- Resolver problemas de divisão com procedimentos numéricos (sem usar desenhos no caso das crianças que já têm certa familiaridade com a resolução de problemas)
- Relacionar a divisão com a multiplicação 

Conteúdos: 

- Construção de diferentes estratégias de cálculo.
- Extensão do resultado conhecido a números maiores. 
- Construção de tabuadas proporcionais e análise das primeiras relações numéricas multiplicativas;
- Construção progressiva de estratégias de cálculo mental para resolver multiplicações e divisões.
 

Anos: 

3º. 4º e 5º


Tempo estimado
Um mês / 1º a 29 de agosto




Material necessário

Lápis, caderno de registro ou folhas para fazer as anotações, material dourado, material concreto (palitos, tampinhas,etc), mesa educacional matemática, tabelas  e fichas  numéricas .

Desenvolvimento:

Composição do número com cálculos mentais

1ª etapa
Propor os seguintes problemas, inicialmente utilizando material dourado no concreto e depois por escrito


1. Penso em um número, agrego 30 e obtenho 70. Qual é esse número?

Os alunos devem buscar individualmente a resposta para cada problema antes de socializá-la com os colegas. Fazer registros no caderno ajuda a construir o raciocínio. 

Por isso, vale errar, apagar, rabiscar. 

O importante é descobrir caminhos diferentes.
2. Penso em um número, tiro 200 e obtenho 700. Em que número pensei?


3. Agrego um número a 300 e obtenho 1.000. Que número agreguei?


2ª etapa 
Depois que cada um trilhou seu caminho, incentivar  cada criança a explicar como pensou. Se ela não conseguir, ajudá-la  registrando no quadro as etapas do raciocínio e fazendo com que todos ampliem o repertório de possibilidades. Utilizar números menores se for preciso.

4. Tiro um número do número 6000 e obtenho 2000. Que número tirei?

5. Penso em um número, agrego 100 e obtenho 400. Em que número pensei?

6. Penso em um número, junto 3000 e obtenho 8000. Em que número pensei?


7. Penso em um número, tiro 900 e obtenho 100. Em que número pensei?


3ª etapa 
Depois que as contas com números redondos forem feitas com segurança, começar a usar  os "quebrados" e ir aumentando o grau de dificuldade. 
Alguns enunciados possíveis: 
a. Penso em um número, junto 250 e obtenho 600. Em que número pensei? 
b. Penso em um número, tiro 150 e obtenho 450. Em que número pensei? 
c. Agrego 250 a 450. Que número obtenho? 
d. Tiro 450 de 900. Que número obtenho? 
e. Agrego 140 a 470. Que número obtenho? 
f. Tiro 150 de 530. Que número obtenho? 


                                                        
Avaliação

Depois de realizar as atividades de adivinhações, discutir com os alunos sobre as estratégias que utilizaram e coloque os procedimentos discutidos num cartaz, pedindo  que as crianças resolvam cálculos como estes, pois é uma maneira de elas colocarem à prova  os modos de resolução que foram discutidos até então.
a. 530 + .... = 600
b. 720 + .... = 1.000
c. 45 + .... = 1.000
d. 890 + .... = 1.000
e. 600 + 800 = ....
f. 1.500 + 700 = ....
g. 900 - 700 = ....
h. 800 - 250 = ....
i. 1.000 - 400 = ....
j. 3.400 - 600 = ..
.



Desenvolvimento:
                                                   
                                                               Divisões equitativas
1ª etapa
Propor  o seguinte problema para ser resolvido individualmente:

"Maria ganhou um buquê com 12 flores e colocou-as em 2 vasos. Quantas flores ela colocou em cada vaso?"

Entregar  uma folha para cada criança fazer registros e resolver o problema. Assim que todos terminarem de resolver o problema, compartilhar os resultados.

 Perguntar, se é possível distribuí-las de maneira não equitativa. Retomar  o enunciado e discutir  as possíveis respostas. Pedir  que digam o que o enunciado deveria explicitar para que cada vaso recebesse a mesma quantidade de flores. A discussão deve mostrar que não há necessidade de se colocar o mesmo número de flores, já que não foi solicitado que se faça a divisão equitativa. A finalidade desse trabalho é que diante das propostas as crianças analisem se há ou não uma restrição de divisão equitativa. Ler enunciados, revisá-los, transformá-los, considerar a quantidade de soluções possíveis faz parte da tarefa de aprender a resolver um problema.

2ª etapa
Promover reflexões sobre as divisões equitativas e não equitativas, proponha um novo problema:
"Maria ganhou um buquê com 12 flores e quer colocar 3 flores em cada vaso. De quantos vasos Maria precisará?".
Pedir  que as crianças tentem resolver o problema individualmente e que depois compartilhem os resultados. Comparar  e relacionar  as estratégias que utilizam desenhos (gráficos) e números.
Produzir  um cartaz, com os registros dos diferentes procedimentos utilizados pela turma.

3ª etapa
Apresentar o desafio que envolve uma divisão equitativa. Explicar essa decisão aos alunos e discutir com eles os conhecimentos que já têm e podem usar para resolvê-los. Exemplo: se o problema envolver repartir por dois, o conhecimento de dobros e metades de certos números funcionará como um recurso disponível.
Propor que resolvam o seguinte:

 "Tenho 45 reais e gasto 5 reais por dia de transporte. Para quantos dias o meu dinheiro será suficiente?".

As crianças podem resolver esse problema por meio de diferentes recursos: subtrações sucessivas, contagem de 5 em 5, até chegar aos 45.  Sugerir que os alunos utilizem procedimentos numéricos - e não desenhos. Se necessário, relembre os procedimentos expostos no cartaz. Incentive-os a abandonar estratégias gráficas em favor das numéricas - caso elas não apareçam, apresente-as.

                                                          
Avaliação:

Fazer a tabulação das estratégias usadas na resolução dos problemas, observando os avanços dos estudantes, e verificar quais passaram a utilizar procedimentos numéricos. Os resultados serão importantes no planejamento das aulas seguintes. O registro das conclusões ou dos diversos recursos possíveis em cartazes e nos cadernos ajudará os alunos a se apropriar do que foi produzido coletivamente em aula.


               Atividades Permanentes  – Mês de Agosto - 2º. e  3º Ano

Jogo de bingo e dos dados numéricos( de 2 a 4 dados)
Composição e decomposição de numerais.
1) Montar uma a tabela, e escolher  os números que geram dúvidas, como o 12 e o 21, o 79 e o 97 e o 105 e o 15 (trabalhando nesse caso também a posição do 0).
Para cantar os números, fazer um tipo de adivinha: "Fica entre 46 e 48", "Está depois de 50" ou "É maior que 99 e menor que 101". Há os que se valem da sequência oral, contando de um em um para buscar a localização exata na escala, o que também é válido. Caso uma criança pense que números com mesmos algarismos são iguais, questionar o posicionamento e o valor de cada um.
2) Jogar os dados e formar na tabela a posição de quadro valor de lugar (UM-C-D-U) – 2º Ano até Centena).
Ganha quem  fizer a lista dos números que somados darão o total maior. Anotar os resultados em forma de placar.


Material  Dourado
Sequência numérica, antecessor e sucessor, ordem crescente e decrescente, valor posicional –Q.V.L. 




Parcerias Especiais!

http://www.contosearte.com/

Virginia Maria Pereira da Rocha


http://www.pedagogiadascores.com.br/

Solange Depera Gelles



EU em ENTREVISTA- Educadores Multiplicadores!

Arquivo de POSTAGENS:

Mimo no BONIFRATI...



Usando a criatividade,
todo mundo pode pensar diferente.
Que 2 + 2 são dois patinhos.
E até detrás para frente.
Se permitir criar,
Tudo pode mudar.

Seja arte, escrita, música.
Receita, caminho, solução.
O que importa é pôr a mente para funcionar
e dar à luz a imaginação

Melhor ainda, se arriscar.
Tomar coragem e compartilhar.
Deixar vir ao mundo e ao mundo mostrar.

Nada que fica na gaveta,
pode trazer boas coisas para o planeta

Abra a sua caixa secreta.
E mergulhe na mente, a sua biblioteca.
Criar é concretizar ideias.

Linguagem Escrita!

"...a escrita deve ter significado para as crianças, uma necessidade intrínsica deve ser despertada. Nelas, a escrita deve ser incorporada a uma tarefa necessária e relevante para a vida. Só então poderemos estar certos de que ela se desenvolverá não como hábito de mão e dedos, mas como uma forma nova e complexa de linguagem".
Vygotsky.

Professores!

A arte torna o trabalho educativo interessante, atraente e sedutor. Para tornar os alunos mais sensíveis e despertá-los para um mundo novo de sensações, o talento e a flexibilidade do professor, da sua arte, dependerá o êxito da sua missão.

Alegria....alegria!

ALFABETIZAÇÃO

O processo de alfabetizar é apaixonante,
antes de tudo é um ato de amor,
coragem e persistência. Pelo simples e
talvez o mais gratificante fato
de permitir ao ser pensante a liberdade
de construção da sua própria história.






CONSULTE o IDEB 2014.É só clicar no selinho ou no link.Conte comigo!

SELINHOS 2012! Obrigada!

Da amiga Leila Bambino!

Glitter Photos
Ganhei da amiga Claudia! Obrigada.
Glitter Photos
Da amiga GISELA.Obrigada!
Da amiga Viviane,Obrigada!
SELINHO A RECEBER... selo4 Glitter Photos Glitter Photos
Selinho pra você!Glitter PhotosSelinho Amigo a todos os Parceiros do Blog "Educando Com Amor"...
Selinho Compartilhado
da Parceira BIA!
Espaço para Educação
Obrigada Amiga Gracita!
Obrigada Amiga Adriana!

Seguir por e-mail

Torcedora FELIZ! Bom D +!

TORCEDORA APAIXONADA!

Vida Divina! Vida Cotidiana!

Kids
See full size image Imagem15 300x183 A ESCOLA DE ATENÇÃO ÀS DIFFERENÇAS

Orar...refletir...imagens que dizem!

ORAÇÃO pela Saúde:
Senhor Deus de amor,Pai de bondade,nós vos louvamos e agradecemospelo dom da vida,pelo amor com que cuidais de toda a criação.Vosso Filho Jesus Cristo,em sua misericórdia, assumiu a cruz dos enfermos e de todos os sofredores,sobre eles derramou a esperança de vida em plenitude.Enviai-nos, Senhor, o Vosso Espírito.Guiai a vossa Igreja, para que ela, pela conversão se faça sempre mais, solidária às dores e enfermidades do povo,e que a saúde se difunda sobre a Terra.Amém.






Gratidão e Interação!